domingo, maio 23

ETERNAL SUNSHINE OF THE SPOTLESS MIND




Fui ver ontem, é um filme belíssimo. É de Michel Gondry, realizador de videoclips de gente como Björk, Radiohead, White Stripes, entre muitos outros, escrito por Charlie Kaufman, argumentista de "Being John Malkovich" e "Adaptation", ambos de Spike Jonze (outro realizador de videoclips), mas também de "Human Nature", do próprio Michel Gondry. É com o Jim Carrey, num registo totalmente diferente, menos tolo do que aquilo a que estamos habituados, mas a confirmá-lo como um grande, grande actor muito versátil, naquele que talvez seja o papel da vida dele (como se "Truman Show" e "Man on the Moon" não fossem provas suficientes...), e Kate Winslet, também num grande papel. Para além deles, tem a Kirsten Dunst, o Elijah "sim, eu apareci no 'Flipper' e fiz filmes de qualidade duvidosa durante a maior parte dos 90s mas agora apareci no 'Senhor dos Anéis' e de repente sou respeitável como o caraças" Wood, o Mark Ruffalo e o Tom Wilkinson. Com planos geniais, uma componente visual fantástica e uma história muito bem escrita, e apesar de ter uma estrutura algo complicada, percebe-se muito bem. As viagens à mente de Jim Carrey, muito ao estilo de "Being John Malkovich", estão muito bem conseguidas. As cenas na praia e na neve também são muito boas. Beck a cantar "Everybody's Gotta Learn Sometimes" aparece aqui e ali, muito bem, bem como temas dos Polyphonic Spree. Um óptimo filme, mesmo genial. Ainda estou a considerar fazer um update ao meu top...

3 Comments:

At 6:57 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Finalmente um artigo de opinião sério e sem pretensões! Já estava a ficar cansada do registo habitual deste blog...
The Eternal Sunshine of the Spotless Mind é um filme genial. Começa logo pelo título, passa pelos actores e acaba naquela cena fantástica em que vemos Jim Carrey a encolher. Recomendo a todos aqueles que gostam de bom cinema e que gostam sobretudo de reflectir depois de sair da sala... É que The Eternal Sunshine of the Spotless Mind contém quase tudo o que poderia acontecer numa vida. Marta Henriques.

 
At 12:11 da tarde, Blogger João Deusdado said...

O filme é realmente brilhante! Sou grande fan do Jim Carey, quer na vertente de humor físico, quer noutros registos (Homem na Lua e Truman Show), e acho que mais uma vez se prova que é muito difícil fazer humor. Fazer um dramazinho, desde que o guião ajude, até o Tom Cruise consegue.
Fotografia, montagem e banda sonora excelentes!

 
At 6:11 da tarde, Blogger O Bom Selvagem said...

Grande filme sim. Achei o casting brilhante. Para além da escolha óbvia de Jim Carrey para aquele papel, a Kate Winslet e o Elijah Wood foram brilhantes encaixes. Tanto a Kate como o Elijah fazem o "negativo" dos papeis a que estão colados. A Kate do titanic vive o romance glorioso, perfeito e dramático. Aqui está reduzida a uma empregada de livraria neurótica e descompensada. O Elijah não podia ser mais 'puto' e fraquinho. No senhor dos aneis ele resiste e carrega o grande peso da responsabilidade, aqui ele cede vergonhosamente a TODAs as tentações, das quais a mais emblemática é roubar as cuecas da Kate. Kaufman é o melhor argumentista da actualidade, devolvendo à figura do escritor o destaque e lugar merecido na realização de um filme.

 

Enviar um comentário

<< Home