terça-feira, Abril 27

R.I.P. Xobineski Patruska


O blog da Xobineski Patruska foi fechado pela própria no sábado. Chorem.
O novo disco do José Mário Branco tem ar de ser giro.

domingo, Abril 25

30 ANOS


A Revolução faz hoje 30 anos. Parabéns.

sexta-feira, Abril 23

QUINTETO TATI


Saiu hoje, com o DNmúsica, o disco de estreia do Quinteto Tati (que é, na realidade, um sexteto), de JP Simões e Sérgio Costa (ambos ex-Belle Chase Hotel). Já rodou por aqui 3 vezes, é muito bom.

Quinteto Tati - Exílio

sexta-feira, Abril 16

ENTREVISTA COM O MESTRE


Encontrei na internet (mais) uma entrevista ao Mestre do Diário de Coimbra. Entre outras coisas, o Mestre mostra-se como o David Bowie português, como podemos ver neste excerto:

DC - Ao longo dessa carreira seguiu sempre um rumo?
JC - Não segui muito. Eu sou muito camaleão. A minha carreira é muito incoerente. Muito cheia de surpresas, de coisas que não sabiam que eu fazia e outras coisas que eu fiz e são mais notórias e que as pessoas até podem não gostar. A minha carreira é, portanto, muito camaleónica e muito pouco coerente, isto é, não me cinjo a uma ideia de escrever dentro de um estilo. Eu tenho que ser, em termos de criatividade, um pouco anárquico, porque é a única via de se escrever e de se estar livre para se escrever. É a única maneira de ser-se si próprio.

O Mestre falou também do seu protagonismo na internet, como podem ver nestes excertos, mas nunca chegou a referir este blog, que tanto tem feito para louvá-lo. Não posso crer que ainda não se tenha deparado com isto.

DC - Para um artista, a catalogação que as pessoas fazem é terrível?
JC - Sim, mas como gravei outras coisas que eu gostava muito e não funcionaram... É o caso do meu álbum “10.000 anos depois entre Vénus e Marte”, dos anos 70. O álbum só funcionou 20 anos depois quando os americanos descobriram o álbum e o editaram na íntegra, em português, e foi nomeado entre os 100 melhores álbuns de rock progressivo mundiais no final do século passado. Daí para a frente, quando se fala de rock progressivo na Internet e hard rock o álbum é quase um álbum de culto e vai desde o Japão aos EUA, à Austrália, à França, à Inglaterra, a tudo que é sítio.

DC - A tradição em Coimbra pesa negativamente?
JC - Sim, porque a tradição é o futuro, não é o passado. José Afonso e Adriano ou Góis quando apareceram eram o futuro, hoje são a tradição. Eu não percebo como é que eu tenho dezenas de milhar de sites na Internet a falar da minha obra de rock progressivo e rock sinfónico e quando vêm os Stones cantar a Coimbra não sou eu que estou lá a abrir o concerto. Eu gosto imenso dos Xutos & Pontapés mas os Xutos não são da geração dos Stones. A geração dos Stones sou eu. Como é que eu e o Quarteto 1111 não abrimos os Stones?


Já agora, uma entrevista minha com o grande Travis Morrison, líder dos extintos Dismemberment Plan, no sítio do costume

terça-feira, Abril 13

ÉPICO


Mão Morta - Nus
Compra do ano.

sábado, Abril 10

SIM, EU SEI...


Já não posto nada desde segunda-feira. Ou melhor, já não postava nada desde segunda-feira. Este post vem acabar com esse silêncio, a pedido de muitas famílias. Não, não há mais fotografias do Berg, infelizmente. Não, não há framegrabs do Mestre. Mas, como é para vocês, temos o Carlos Ribeiro na Páscoa dos Hospitais. Gostam? Eu também, eu também...finjam que este post teve imensa piada, foi altamente espirituoso, e divirtam-se com este grande senhor...boa Páscoa a todos.

Carlos, Carlos, que homem...

segunda-feira, Abril 5

TEÓFILO SONNENBERG


Berg

Conhecem esta cara? Até há momentos, eu também não conhecia. A verdade é que este homem, Teófilo Sonnenberg, é responsável por duas das melhores rimas de sempre:

"Vejo nas ondas o desejo de surfar, estar aqui à beira-mar ao pé de ti."
e
"É o fruto proibido que tu vais querer provar, como a terra está p'ró mar, morangos com açúcar!"

Já vos diz mais qualquer coisa? Ainda bem. O homem esteve na melhor série de sempre, "Morangos Com Açúcar", a interpretar o seu grande êxito e a responder a perguntas. Explicou-nos o que queria dizer Berg. Berg é o diminutivo do nome dele, Teófilo Sonnenberg, já que este tinha uma avó alemã, querendo dizer este nome "Montanha do Sol". Cada vez mais, e não só ao nível das telenovelas, Berg se impõe como um dos maiores singer/songwriters portugueses, ao lado de um outro grande nome da canção - Ménito Ramos (se ignorarmos, é claro, a parte da produção), que, aliás, também tem um tema na banda sonora de "Morangos Com Açúcar". Berg explicou também as suas influências, sendo estas Lenny Kravitz, Jimi Hendrix e Sting, e tentando este conjugá-las da melhor forma, para fazer o som característico de Berg. É de salientar o papel da TVI na consagração dos novos grandes artistas do panorama pop/rock português. Parabéns (outra vez) à TVI, esse grande canal. Aqui estão framegrabs deste momento televisivo inesquecível (um dos melhores dos últimos tempos e, quem sabe, de sempre):

Berg

Berg

Berg

Berg

Berg

Berg

Berg

Berg