segunda-feira, fevereiro 28

A barba de Robin Williams é boa. Mas recicla piadas que já tinha usado em Live on Broadway. As imitações dele. Ai. Adivinhei. The Incredibles ganhou. Shrek 2 não era grande coisa, fogo, era só a cena de ter o John Cleese. No filme que ganhou, Samuel L. Jackson fez-me lembrar o Pulp Fiction. A sério, numa cena com a polícia tive medo. E os créditos finais pareciam ter saído da cabeça e da mão do grande Saul Bass. Os discursos são sempre óptimos, que bom. Que sorte. Dizem sempre a mesma porcaria. Que cerimónia tão excitante.