segunda-feira, fevereiro 28

OS ÓSCARES


E o melhor filme de 2004, segundo a Academia, é Million Dollar Baby. E Dustin Hoffman, bem como Barbra Streisand, brincam em palco, segredando um ao outro. E foram os Óscares 2005.
Foi a primeira vez que assisti em directo à cerimónia dos Óscares inteira. E a primeira vez que a cobri aqui. Escolhi uma altura má para isso. Os Óscares 2005 foram uma treta. Chris Rock tem piada, claro que tem, mas com uma trela daquelas não pode fazer absolutamente nada. Não é um tipo versátil. Martin Scorsese perdeu a noite quando a devia ter ganho. A sério.
Esperava-se mais de Sideways, filme que não vi, e num mundo justo haveria mais para Eternal Sunshine of the Spotless Mind, filme que não me canso de elogiar.
Não há muito mais a adicionar, só que a cerimónia tem o carisma de um insecto pequeno. E que eu devia armar-me menos em engraçadinho, que está provado que bons resultados não tem. Daqui é tudo.

Despeço-me com cordialidade,
rod