sexta-feira, julho 15

DON'T FUCK WITH THE KING


E se Elvis Presley e John Fitzgerald Kennedy não tivessem morrido? E se vivessem os dois num lar de idosos manhoso no Texas? E se os andarilhos e as cadeiras de rodas de ambos combatessem múmias? E se o JFK agora fosse negro?
É esta a premissa de Bubba Ho-Tep, um filme com o rei. O rei nos dois sentidos, o rei do rock'n'roll, Elvis Presley, e o actor que o representa, Bruce Campbell, o rei da série b. Com montes de maqulhagem, parecendo até às vezes mais o Kyle Maclachlan do que o Presley, Campbell aprendeu finalmente a piscar os olhos, coisa que não fez em nenhum dos três filmes da série Evil Dead.
O filme já tem 3 anos, mas só chegou a Portugal este ano, passou no Fantasporto ou assim. Como sou um gajo preguiçoso que não vai a festivais de cinema, muito menos fora da capital, só o apanhei agora, em DVD. Cheio de one-liners e sequências bestiais, é o melhor filme de acção de sempre. E, curiosamente, é muito parado. Velhos a combater múmias é brilhante, brilhante.
O rei manda one-liners brutais, e Bruce Campbell consegue não seguir os imitadores do rei, sendo ele próprio. Estupendo. E o Ossie Davis, num dos últimos papéis da sua vida, como JFK...brilhante. Mas sabe a pouco, num momento estamos a ver o Elvis a matar baratas gigantes, noutro o filme acaba. Uma hora e meia. Não chega.

O Bruce Campbell é melhor actor de sempre e a sua autobiografia, If Chins Could Kill, é o melhor livro alguma vez escrito.

Bruce Campbell=Deus

P.S. Contaram-me que o Herman José falou deste blog numa entrevista à Antena 3. Alguém confirma? Eu não ouvi, mas a verdade é que tem havido um aumento de gente a procurar no Google "José Cid blog" e assim.