terça-feira, dezembro 6

PANDA BEAR - I'M NOT/COMFY IN NAUTICA


Estúpido. É uma palavra que me define, acho eu. Durante tempos e tempos ignorei - estupidamente - e fui contra - estupidamente - os Animal Collective. Depois saiu Sung Tongs. Pensei logo que havia ali qualquer coisa. Mas eu não compreendia aquilo na totalidade. Gostava de uns temas, mas nada mais. Ao longo do tempo, sempre com esta bandeira, fui contra os Animal Collective. Depois lançaram Prospect Hummer, o EP com a Vashti Bunyan. Fiquei fã dela depois do Rejoicing in the Hands do Devendra Banhart. Gostei do EP. Mas pensei que ficasse por aí. Depois lançaram Feels e, bem, a história já se sabe, a malta atrevessou o rio, foi para um barracão em Cacilhas e lá descobriu-se que "We Tigers" era hip-hop e tal. Mas Sung Tongs continuou a ser desequilibrado. Ainda continua. Mas hoje ia no autocarro a ouvir o disco e...antes era "Leaf House". Depois foi "Who Could Win a Rabbit". Agora é "Winters Love" e "We Tigers". Talvez a guitarra de "Sweet Road". Mas continua a ser Feels e devem ser as vozes. As vozes, porra, as vozes.
E toda a gente sabe que o Panda Bear mora em Lisboa. Na verdade, depois do concerto da banda dele voltou no cacilheiro para Lisboa com o resto das pessoas e com a sua cônjuge. Aposto que subiram a rua e foram para casa (isto julgando - e provavelmente mal - que ele mora no Bairro Alto). Algures depois (aposto que foi antes) gravou "I'm Not" e "Comfy in Nautica". Nunca tive paciência para os delírios do rapaz a solo, não gostei de Young Prayer mas as vozes e as percussões dele nos Animal Collective sempre foram óptimas. E ao vivo ainda melhor. Posto isto, "I'm not" e "Comfy in Nautica" baseiam-se em voz e percussão, pouco mais. "I'm not" começa com o que parecem ser coros de igreja samplados ou assim e depois há mais sons que são difíceis de identificar (talvez uns teclados), enquanto o rapaz canta "I'm nooooooooooooooot". "Comfy in Nautica" é para as palminhas e, estando a comparação aos Beach Boys tremendamente gasta, faz lembrar Beach Boys. Isso, especialmente nas vozes.
Talvez seja da estupidez antiga - não sei -, mas cada vez que pego outra vez nesta gente fico a gostar mais deles. E este single vem confirmar precisamente isso. Não que tenha muito a ver com Animal Collective, falta ali, pelo menos, o Avey Tare, mas isto é muito bom. Muito bom. Tudo porque uma repetição fica sempre bem no fim. No fim.

2 Comments:

At 9:36 da tarde, Blogger Mafalda Azevedo said...

Eu leio o teu blog.

 
At 11:33 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Talvez não lhe fique mal dizer aqui que o JOSE CID, um grande e inspirado musico portugues, vai estar no fim de ano do Casino Estoril, com banda de 8 elementos e ao lado de Isaac Hayse.

 

Enviar um comentário

<< Home