segunda-feira, fevereiro 6

FALSOS ÍDOLOS


Os falsos ídolos deste agnóstico, agora, são John Darnielle (Mountain Goats) e Duncan Sumpner (Songs of Green Pheasant). O primeiro pela forma como diz "Dance Music" sempre de formas diferentes, sem preocupações com a melodia, em "Dance Music" de The Sunset Tree, belíssimo, se ultrapassarmos o problema da voz (que demora a entrar, mas entra), e como diz primeiro "seventeen years young" e noutra canção diz "seventeen years old", esse jogo todo, e pelo blog dele, a melhor merda de sempre (a sério, quem é que se lembra de escrever cenas sobre começar a gostar de Jesu - não gosto de Jesu - num dia de chuva?) e o outro por, sozinho, ser os Simon & Garfunkel do novo milénio (isto também era, mas muito mais hi-fi) em lo-fi brutal, uma força das circunstâncias que acaba por ser uma opção estética óptima, com canções enormes e um excelente disco. E pensar que os ignorei totalmente - por ainda não ter ouvido - na lista de melhores do ano faz com que eu tenha sempre razão quando digo que são uma treta (haverá maior lugar comum do que dizer que as listas de melhores do ano são uma treta?). E acho que o Matt Berninger dos National também é um falso ídolo, se bem que não me tenha parecido assim tanto em Paredes de Coura. Mas é um gosto adquirido que eu já tinha adquirido mas não assim tanto. E, ainda por cima, faz batota quando joga à bola contra os Clap Your Hands Say Yeah (mais gosto adquirido que eu já tinha adquirido mas não assim tanto, ainda menos que os National, cujo Alligator apareceu na minha tal lista maldita).

1 Comments:

At 1:09 da tarde, Blogger p1ngger said...

raios para os motores de busca...

"josé cid"+acordes e salta isto...

eu a kerer encontrar os acordes da macaca e dou com um blog bastante engraçado...

 

Enviar um comentário

<< Home