quinta-feira, fevereiro 23

OS ÓSCARES


A primeira vez que vi uma cerimónia de entrega dos Óscares do princípio ao fim foi no ano passado. Até a registei aqui neste blog. Por isso, não sou do tempo em que o Billy Crystal apresentava aquilo. Ou qualquer outra pessoa. Nem sequer da Whoopi Goldberg. Se bem que não ser do tempo desta última seja algo que é considerado por mim uma bênção. A quase uma semana dos Óscares, a questão começa-se a formar na minha cabeça. Será que Jon Stewart irá fazer algo de realmente arrojado naquela noite? Vejamos por partes: ele não tem nada a perder, já deve ter uns trocos guardados, não deve ter quaisquer problemas em fazê-lo, não ia propriamente perder a sua audiência do Daily Show nem nada que se pareça...falo de uma coisa realmente em grande, não de uma piada qualquer contra o Bush, mas algo como o que fez no Crossfire que levou ao cancelamento do programa (ou mesmo algo como aquilo que Kanye West fez do "George Bush doesn't care about black people"). Um soco no estômago do próprio sítio onde está. Conform to Deform, como diriam os Cabaret Voltaire (dos quais nunca gostei). Aí é que Jon Stewart, fora de quaisquer brincadeiras ou algo planeado previamente, se mostra como um génio. Não só do humor. Mas, a julgar por aquilo que li num artigo do New York Times anteontem (já não deve dar para ler online, por isso não há link para lá), Stewart é visto como alguém que, de certa forma, se vendeu. Alguém que era contra o estabelecimento e depois passou a fazer parte desse próprio estabelecimento. Mas não é bem assim. Stewart nunca foi realmente contra o estabelecimento, só contra aquilo que acha que não está bem, basta ver-se o Daily Show meia-dúzia de vezes para perceber isso. Mas a questão continua: será que Jon Stewart se limitará a dizer dúzia e meia de piadas sobre os filmes, sobre o Bush, mostrando uma versão amestrada daquilo que realmente é, ou será que terá a coragem para fazer algo mais? Não é como se a sua carreira em Hollywood fosse grande coisa, tendo participado em mega-êxitos reconhecidos pela crítica (ironia) como Death to Smoochy ou, o meu favorito, Big Daddy, um monumento em película, com o grande Adam Sandler (a ironia acaba aqui). Era bom, era. Pelo menos daria vitalidade a uma instituição que está debilitada há vários anos. Mas não sei. Será que tenho fé no Jon Stewart?

6 Comments:

At 10:52 da tarde, Blogger Clik said...

Contra o estabelecimento? Qual estabelecimento? O Lidl?

Acho que estás a levar longe demais essa crise de fé no tal Jon Stwart. É um bocado indiferente o que ele faz na operação de markting mais longa da América.

 
At 10:53 da manhã, Blogger Mafalda Azevedo said...

Pois eu tenho fé nele e também estou ansiosa para ver o que se passa na grande noite...

 
At 9:32 da tarde, Blogger Spaceboy said...

Eu também deposito fé no Jon Stewart e estou à espera que ele esteja em grande na noite dos Óscares.

 
At 4:22 da tarde, Blogger ups said...

Hummm o que ele fez no Crossfire?

 
At 6:59 da tarde, Blogger Daniela Mann said...

"Na cabana junto à praia", forever!

 
At 11:58 da manhã, Blogger Clik said...

Mandar o Oscar!

 

Enviar um comentário

<< Home