sexta-feira, março 10

NICK SYLVESTER


Nunca nestas linhas escondi a admiração que tenho por Nick Sylvester, um dos escribas do Village Voice e um antigo escriba da Pitchfork (despedido este mês por razões que apontarei). O seu estilo único é uma inspiração para qualquer pessoa, encontrando um equilíbrio saudável entre boa escrita, informação, cultura musical, humor e palavrões invejável. O seu blog, Riff Raff, está ali ao lado, nos links deste blog, listado como algo que o Clube de Fãs do José Cid aprova (e, anteriormente, estava como uma das "melhores merdas do mundo"). Das entrevistas até às críticas, dos textos sobre a família (levar a irmã menor dele a um concerto dos New Pornographers, num texto brutal, ou a pôr a mãe a escrever sobre uma lista de canções de S. Valentim) às reportagens, e da Pitchfork ao Village Voice, sempre valeu a pena ler o que ele tinha para dizer. Acontece que, após um espectáculo deprimente (que teria piada se não tivesse acontecido o que veio a acontecer há bem pouco tempo) nos Plug Awards, como descrito pelo Brooklyn Vegan (onde descobrimos, entre outras coisas, que a Amanda Petrusich da Pitchfork é gira e os TV on the Radio são a banda com mais pinta de sempre), em que o senhor Sylvester se limitou a ler uma reportagem da New Yorker, o tipo foi agora apanhado a inventar citações e histórias numa reportagem do Village Voice. A história em questão, que não tem grande interesse, foi retirada do site da publicação (da versão impressa é um bocado mais difícil, obviamente) quando se descobriu. Através da magia da cache do Google, podemos ainda ler a reportagem (se este link não der, é só procurar "Do You Wanna Kiss Me?", que provavelmente será o primeiro resultado, e tocar em Cached Version). O editor confrontou Nick Sylvester com as acusações e, segundo rumores, este desmaiou. O editor demitiu-se, Sylvester foi suspenso e publicou um pedido de desculpas. O que está aqui em questão é uma extrema irreponsabilidade jornalística, mas também uma perda de sanidade mental da parte do Sylvester. Por um lado, é uma pena perder-se um escriba destes, por outro, o que ele fez é indesculpável (mesmo que tenha sido só suspenso). Por outro, ainda, foi nas mesmas páginas que muito provavelmente o mesmo aconteceu ao longo dos anos, ocasionalmente, com Lester Bangs. Mesmo que supostamente as entrevistas ao Lou Reed (que acabavam sempre em conversas sobre drogas) fossem verdadeiras (e muitas delas nem eram do jornal, eram de outras publicações), há muitos textos dele que referem acontecimentos que provavelmente nunca aconteceram, fruto da sua imensa imaginação e/ou das drogas. Aliás, Nick Sylvester é muito provavelmente um dos melhores herdeiros de Bangs que existe hoje em dia, só que sem a parte das drogas. Pelo menos não tão evidente, sei lá se ele se droga ou não. Espero que ele recupere a sanidade mental, que volte a escrever como tem escrito ao longo destes anos, ou outra coisa qualquer. É uma pena. Mas também pode gerar uma discussão diferente, sobre o que é que o levou a mentir. Muito provavelmente foi a preguiça e/ou a falta de tempo, aliadas ao facto de o jornal já não ter um departamento para verificar as fontes. Também pode ter sido terem-no posto a escrever sobre outra coisa que não música, já que escrever sobre música é aquilo que ele faz melhor.

6 Comments:

At 10:56 da manhã, Blogger Diogo aka o Torgal said...

Apesar de acreditar piamente na máxima "mais vale tarde do que nunca", tenho pena de só agora conhecer este espaço. Definitivamente é para continuar a visitar. Grande abraço Rodrigo.

Diogo Torgal

 
At 12:48 da tarde, Anonymous M said...

...

 
At 6:32 da tarde, Anonymous Anónimo said...

É inacreditável como pessoas como tu mudam de gosto e tendências sem um mínimo de mostra de personalidade. Ainda há pouco tinhas gajos que eram o teu album do ano e hoje dizes que odeias por questões que nada têm a ver com música.
És ridículo.

 
At 10:14 da tarde, Blogger Rodrigo said...

LOL.

 
At 10:14 da tarde, Blogger Rodrigo said...

Sim, é verdade, eu odeio mesmo o Morrissey por questões extra-musicais. Vou queimar todos os meus discos dele e dos Smiths, nunca mais vou ouvi-los. Meu Deus, mas tu levas esses comentários parvos a sério? O_O

 
At 8:27 da tarde, Anonymous Anónimo said...

gostas de smiths.. tem mesmo a ver contigo.

 

Enviar um comentário

<< Home